Lidera a tua vida com emoção em acção

Em várias situações, o que sai da boca das pessoas é revestido de uma armadura endurecida e polida. As mensagens são fabricadas tentando alcançar o tom certo e o resultado adequado. A emoção genuína está em contraste.

Uma pessoa “real” partilha uma emoção “real”. Quando a ouvimos, ficamos em alerta. Porque é raro. Porque é poderoso. Às vezes é desconfortável e um pouco confuso. Mas é isso que a torna poderosa. Ela não está a esconder nada.

Escondem-se emoções numa tentativa de permanecermos no controlo. Mas, na realidade, ao fazê-lo diminuímos o nosso controlo e enfraquece a nossa capacidade de liderar as nossas vidas — porque nos retira autenticidade, empatia e a capacidade de partilharmos a nossa vulnerabilidade.

O poder da vulnerabilidade é, em parte, uma capacidade de voltarmos a conectar connosco próprios, de acedermos ao nosso mundo interior, e não termos medo de ser. O ponto fulcral é utilizarmos essa capacidade de forma genuína, com a intenção de valorizar e respeitar o que sentimos sem prejuízo do outro. Com a intenção de alcançar um maior nível de entendimento e de consciência no ser humano.

Aceitar e partilhar a nossa vulnerabilidade com aqueles que nos são mais próximos não é sinónimo de fraqueza. É sinónimo de liberdade. É sinónimo que juntos crescemos num mundo onde existem o bom, o mau e o vilão. Um mundo que é o nosso.

Talvez este conselho ressoe em ti: não ouças “muitos” conselhos! Faz, arrisca, reflecte, volta atrás se for necessário, vive. Coloca a tua emoção em acção.